Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


 

Olá papás, o tema hoje são dicas, para que de uma maneira calma e sem choros, a hora do jantar se torne bem mais divertida e SAUDÁVEL. Por vezes, após um dia de trabalho, cansativo, torna-se um pouco difícil  arranjar paciência para as birrinhas dos nossos pequenotes e tempo para estar tudo na cama a horas, sei bem como é ... mas fomos nós que optámos ter filhos e eles coitadinhos, também chegam cansados e com necessidade da nossa atenção ... CORAGEM PAPÁS ...OS NOSSOS PIMPOLHOS MERECEM ;)

transferir546.jpg

 

 

 Existe um estudo, com mais de 6.000 crianças e adolescentes, em que os resultados mostraram que cerca de um terço do seu consumo de vegetais eram batatas fritas, e um pouco mais de um terço do consumo de fruta vem de sumos. Mas o que fazer se as crianças hoje em dia não querem nem experimentar vegetais? Aqui ficam então algumas ideia...experimentem, acho que vai resultar, cá em casa resultou:

 

1 º Esperem até que estejam com fome

Se eles estiverem com fome, vão comer o que houver. Antes do jantar, sirva um aperitivo de vegetais coloridos, como cenoura, pepino, beterraba,etc. juntamente com molhos de salada não calóricos, de iogurte por exemplo.

 

2º Criem a regra da "uma mordida"

Digam aos vossos filhos que  têm de dar uma mordida em algo antes de negá-lo (ou seja, se ele não quer comer alface, vai ter que pelo menos experimentar antes). Segundo especialistas, se ele tiver que saborear a comida, eventualmente vai-se acostumar com ela, pode até dizer que não gosta à primeira, que é o mais provável, mas tentem mais vezes.

 

3 º Inventem nomes engraçados

Todo golpe publicitário vem com uma identidade. Se os profissionais de marketing podem fazer isso, por que é que nós também não podemos ? Comecem a chamar as frutas e vegetais de nomes engraçados, coisas que combinem com eles, heróis e brincadeiras, ativando a curiosidade e atenção da criança.

 

4º Levem as crianças ao supermercado ou frutaria

Deixem que elas escolham as frutas e legumes. Façam com que eles passeiem pela seção de vegetais, sentindo o cheiro dos produtos e admirando as cores.

 

5 º Façam as crianças cozinharem convosco

Eis uma história de sucesso: uma vez, uma mãe pediu ao seu filho para ajudá-la a cozinhar feijão-verde, ensinando-o truques e temperos, enquanto ela lavava louça. Quando se sentaram para comer, ele insistiu em comer o feijão-verde, porque, como dizia, "ele mesmo o tinha feito". Dois anos depois, ele ainda come os vegetais – desde que ajude a prepará-los.

 

6 º Façam pelo menos uma "noite de legumes" por semana

 Desta forma, não há concorrência com outros tipos de alimentos. Sirvam naquela noite apenas legumes,  de formas variadas, como "húmus" (espécie de patê de grão de bico), hambúrgueres de cogumelos, legumes gratinados com queijo, legumes com tofu enrolados numa folha de lombardo, tipo surpresa etc.

 

7 º Escondam os vegetais na comida

Há várias maneiras de fazer isso. Purê de vegetais, peixe enrolado com vegetais, legumes na massa, etc. O disfarce ajuda pelo menos a criança a começar a comer. Depois de terminarem a refeição, dizemos-lhes o que acabaram de comer.

 

8 º Façam com que os vegetais sejam uma "opção fácil"

Aprendemos com o marketing: ao invés de pacotes de salgados e docinhos, deixem vegetais e frutas em locais acessíveis, tanto no frigorífico, como na dispensa ou na mesa.

 

9 º Deixem-nos "mexer" nos eletrodomésticos

Todas as crianças são curiosas . Deixem-nas usar o liquidificador, o espremedor de citrinos, o processador de alimentos, máquina dos sumos, para que ajudem a fazer receitas com frutas e legumes. Mas não se esqueçam de supervisioná-las, claro.

 

10 º Política da "não quer, não come"

Não vamos fazer da hora da refeição a hora da "batalha", se já tentou tudo, mesmo que esteja com fome a vossa criança continua a não ceder e a não querer algo que lhe foi posto no prato para comer, não entrem em stress, respirem fundo e calmamente digam-lhe : "Tudo bem, se não queres comer, não comes, não te vou obrigar, podes sair da mesa" . Não preparem outra refeição, quando for ter convosco a pedir comida, apresentem o que ele tinha rejeitado, dizendo que não há mais nada para comer. Se tem fome terá que ceder... mas não se esqueçam, nesses dias voces também têm que comer o que lhes estão a exigir que coma. Não vale apena, por exemplo, insistir com a sopa se ele nunca vos vê come-la, se ao invés de terem a sopinha no prato tiverem peixe com batatas, ele vai querer também, assim tudo é mais complicado ... porque nós papás somos o exemplo!

images (45).jpg

 

Perto dos legumes, longe dos hospitais!!!

 

Bem hajam ;)

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

images (44).jpg

 

1 - Brincar na mesa;

2 - Substituir refeições;

3 - Receber doces como recompensa;

4 - Ficar de castigo quando não comem;

5 - Lanches fora do horário;

6 - Não aceitar um “Não” e receber sempre um “Sim”;

7 - Ceder ao primeiro “Não gosto”;

8 - Não variar a ementa;

9 - Comer em frente à televisão;

10 - Não ter um bom exemplo dentro de casa

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 

 

foto.jpg

 

Olá papás ...  hoje é DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO e como, as noticias relativas a este tema em Portugal não são animadoras, decidi levar a minha missão mais além ... estou disponível para acompanhar alguma família que se sinta um pouco perdida no que toca a escolhas alimentares, pais que queiram aprender mais e que estejam dispostos a mudanças, bem como, ensinar a selecionar no supermercado (visto que opções não faltam e a publicidade não dá tréguas) os melhores alimentos para encher a dispensa, ler rótulos, fazer plano de refeições, como economizar, são algumas estratégias que cada vez mais devemos privilegiar. O meu objetivo para além de alertar é arregaçar as mangas e passar da teórica à prática e ajudar a criar uma geração saudável. Enviem-me um email (naturopatataniacosta@gmail.com), com todas as vossas informações ... SER SAUDÁVEL É A ESCOLHA CERTA!!!

O Principezinho Come Brócolos.gif

 

 

Quando temos um filho, temos a oportunidade única de moldar uma pessoa em desenvolvimento.

Um dos nossos maiores presentes para eles pode ser um corpo resistente a doenças, criada a partir de excelentes escolhas alimentares.

As otites, amigdalites, alergias, distúrbios de hiperactividade de défice de atenção (DDA ou TDAH) e até algumas doenças auto-imunes podem ser prevenidas por boas práticas nutricionais desde cedo.

Doenças comuns da infância não são 100% evitáveis, mas são mais eficazmente geridas através da incorporação de excelência nutricional na dieta das crianças. Isso é muito superior à dependência de drogas/medicação constante a que estamos acostumados.

Nenhum pai discordaria de que as nossas crianças merecem apenas o melhor.

 

Não façam dietas … criem um estilo de vida SAUDÁVEL!

 

Se precisarem de mim ... cá estou!!!

 

Bem hajam

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

images (43).jpg

 

 

O principal objetivo de estimular a leitura dos rótulos, é levar as famílias a entender o que estão a consumir. Este ato, contribui para a melhoria da saúde e qualidade de vida de todos. É fundamental, conversarmos com os nossos filhos durante as compras de forma a que entendam o que são produtos 'bons' e que podemos colocar no carrinho de compras e quais os produtos 'maus' que não devemos escolher. Para além de, nesse momento estar-mos a ensinar,  estimula-mos também o desenvolvimento da criança.

Muitos papás não ligam à informação e composição dos produtos (os quais muitas vezes, trazem letras minúsculas no que mais é importante e  letras gigantes no que é estratégico vender)  e nem sabem que estão a oferecer  aos filhos, alimentos super perigosos para a saúde. Quando tentam decifrar o que está escrito, deparam-se com um grande problema ... PERCEBEM POUCO OU NADA! 

 

 Existem diversas informações que devemos ter em conta, antes de comprar qualquer produto alimentar. É certo que nem sempre temos muito tempo disponível para realizar este tipo de leituras, mas se este hábito for rotineiro, acabamos por  conhecer bem os produtos e a selecionar os melhores.  Esta atitude pode melhorar a saúde da vossa família. Faça as escolhas certas!

 

Vou explicar alguns passos fundamentais a ter em consideração na hora da compra, se bem que, têm que saber que os rótulos têm mais informações para além destas, importantes, mas não tão 'urgentes' de entender ...

 

Vamos a isso:

 

LISTA DE INGREDIENTES: 
Encontra-se por ordem decrescente, isto é, o produto que está em maior quantidade aparece em 1ºlugar e o que está em último, apresenta menor quantidade.

rotulo_torrada-ingredientes2.jpg

 O QUE DEVEMOS TER EM ATENÇÃO? Estas bolachas, à primeira vista são integrais e saudáveis. Vejamos com calma a lista de ingredientes:

- Em primeiro lugar vem, farinha de trigo branca e só em segundo farinha de trigo integral, significa que, este alimento é maioritariamente constituído de farinha branca, como é óbvio, quando falamos que os produtos integrais são os mais aconselhados, falamos em produtos que contenham  APENAS farinhas integrais na sua composição ou pelo menos que seja o primeiro ingrediente da lista...que não é o caso.

- Açúcar - o mascavado vem em sexto lugar, enquanto que o açúcar (refinado) é o terceiro da lista. Já não basta, a farinha branca ser considerada refinada e no organismo ser assimilada como açúcar, ainda contém açúcar refinado

 

rc3b3tulos (1).jpg

 

 DEVEMOS:

 

  •     Eliminar os alimentos que tenham nos primeiros lugares, GORDURAS, AÇUCARES e idênticos (sacarose, frutose,dextrose, xarope de milho ou glucose) e FARINHA DE TRIGO BRANCA;

 

  • Evite produtos que contenham conservantes, corantes artificiais, aditivos e adoçantes: (ex: Maltodextrina e E-xxx). O glutamato monossódico é um dos piores aditivos alimentares.

 

  • Evite ingredientes com: gordura saturada (e hidrogenada ou trans) melhor será, privilegiar  as gorduras mono-insaturadas e poli-insaturadas.

 

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL:

 

  • Prefira alimentos com menor densidade calórica (kcal/100g). Um valor superior a 400 kcal por 100g de produto é bastante elevado.

 

  • Produtos ricos em hidratos de carbono (pão, cereais, barras, bolachas, biscoitos, etc.) com mais de 6g de fibra e proteína (por 100g) são geralmente boas escolhas. Um valor superior a 10g seria excelente.

 

  • Nos mesmo produtos e relativamente às gorduras, procure valores inferiores a 10g por cada 100g de produto alimentar

 

  • Atenção ao Sódio (sal) – máximo 5g/dia
    (consumo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS)

 

 

Os papás que têm filhotes (ou mesmo eles próprios) com alergias ou intolerâncias alimentares, têm obrigatoriamente que ler com muito cuidado, todos os ingredientes e informação que os produtos alimentares trazem.

 

NOTA: Imprimam este "post" e levem-no convosco na altura das compras

 

BEM HAJAM!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

 Não é o mel em si, que é perigoso, mas sim, o que que ele contém, é que pode fazer o vosso bebé adoecer.

Bem sabemos que o mel, tem alguns benefícios no tratamento de diversas patologias. Na tentativa de cura de constipações, alivio da tosse, alguns pais molham a chucha no mel para acalmar os bebés, etc. utiliza-se este "docinho" que normalmente as crianças adoram, de forma natural. O problema é que o mel, pode conter esporos de uma bactéria designada  “Clostridium botulinum”, causadora de uma doença chamada BOTULISMO INFANTIL. Se o bebé ingerir estes esporos, vão diretamente para os intestinos e desenvolvem-se lá, onde irão produzir a toxina do botulismo, podendo paralisar gradualmente os músculos e/ou afetar a respiração. É uma doença rara e tratável, mas muito grave, por essa razão, é importante saber conhecer os seus sintomas de forma a reconhecê-los o mais cedo possível.

 

Os sintomas do botulismo surgem entre 3 a 30 dias após uma criança consumir os esporos. A obstipação (prisão de ventre) é muitas vezes o primeiro sinal de botulismo que os pais percebem (embora muitas outras doenças ou maus hábitos alimentares, possam também  causar prisão de ventre). Chamem o  médico se o vosso bebé não tiver uma evacuação em 3 dias.

 

Outros sintomas que possam aparecer:

  • expressão facial plana
  • má alimentação (sucção fraca)
  • choro fraco
  • diminuição dos movimentos
  • dificuldade para engolir com salivação excessiva
  • fraqueza muscular
  • problemas respiratórios

 

Quando se fala em mel puro, fala-se igualmente de bolachinhas com mel ou outro alimento com mel. Atenção também às conservas caseiras, caso tenham dúvidas se estão boas ou não, o melhor mesmo, será deitá-las fora, poderão estar contaminadas e levar à intoxicação.

 

 As crianças mais velhas e os adultos saudáveis, por outro lado podem comer mel sem problemas, uma vez que o seu organismo consegue evitar o desenvolvimento dos esporos de “botulinum” . Prefira sempre mel de qualidade, o mais puro e biológico de preferência.

 

"O conselho a ter em mente é aguardar até o bebé ter 1 ano antes de lhe dar mel," explica Sajjad Yacoob, pediatra no Children's Hospital Los Angeles. "Mas o mel geralmente não é uma fonte de nutrição importante para os bebés, pelo que, para jogar pelo seguro, é preferível aguardar até aos 2 anos."

 

Se normalmente, dão mel ao vosso filho, quando ele tem tosse, lembrem-se que existem outros substitutos naturais e homeopáticos, que podem ajudar, contudo, a tosse não é significado de um sintoma mau...é um alerta/defesa que o organismo tem, de proteção para expulsar partículas estranhas ou muco do sistema respiratório.. Se o vosso filho é saudável, não à razão para tentar suprimir a tosse. Estejam alerta e consultem um especialista de saúde, se a tosse persistir durante muito tempo ou se o vosso filho, mostrar outros sintomas e menos energia que o normal, caso contrário, não é preciso entrar em pânico.

 

Bem hajam

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

TOFU com BROA

02.10.14

O que faço hoje para o jantar?? 

A pergunta de todos os dias...aqui fica uma ideia deliciosa

INGREDIENTES: (4-6 doses)

500 g Tofu

2 cenouras médias raladas

2 talos (branco) alho francês

2 cháv. cheias de folhas de espinafre

1 cebola roxa (podem colocar branca, eu é que só uso roxa em casa)

2 dentes de alho

azeite q.b

1 col.sopa levedura de cerveja (opcional)

1 col.sopa molho soja

1 col. chá sal marinho

manjericão, tomilho, gengibre em pó e pimenta preta q.b

 

CROSTA DA BROA:

1 broa de milho pequena (+- 500g)

1 colher sobremesa alho em pó

4 colheres sopa salsa picada

6 colheres sopa de azeite

-----------

1º Esmague o tofu com um garfo ou passe-o no ralador;

2º Leve ao lume médio, um fio de azeite com a cebola e o alho picado (eu coloco um pouquinho de água de forma a não fritar a cebola, mas cozer). 

3º Junte a cenoura ralada, o alho francês cortado em rodelas muito fininhas, as folhas de espinafre, o tofu  e deixe amolecer um pouco.

4º Adicione a levedura (se usar),o sal, molho de soja, a pimenta preta moída na hora (de preferência) e as restantes ervas.

5º Deixe cozinhar por cerca de 8 minutos, mexendo ocasionalmente.

6º Triture a broa num processador, junto com a salsa, alho e o azeite e junte um pouquinho aos legumes.

7º Coloque um fio de azeite no fundo do tabuleiro que vai levar ao forno e coloque os legumes. Por cima coloque o picado da broa. Pressione com as costas de uma colher, de forma a ficar tudo uniforme.

8º Leve ao forno, cerca de 15 minutos 200ºC até alourar. (Atenção, deixe apenas alourar e não torrar. É no torrar que mora o perigo)

 

EXISTE OUTRA OPÇÃO:

Em vez de optarem pelo alho francês, cenoura e espinafres, podem substituir por:

- 250 g( ou mais se preferirem) Caldo verde (cozer previamente antes de juntar ao refogado)

- 500 g Feijão-frade (cozê-lo junto com uma vagem da alga Kombu, diminui os efeitos de flatulência causados pelo feijão e é de mais facilmente digerido) ou use enlatado com baixo teor de sal se preferirem

Junta-se o tofu e os temperos igualmente como na receita anterior, mas em vez de picar a broa toda, deixe 1/4 para cortar aos quadrados com a faca e juntar ao preparado.g

O restante é igual.

 

Bom APETITE!!! Espero que gostem

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

A finalidade do sistema imunitário é identificar e destruir os inimigos do organismo, entre os quais se incluem, além das suas próprias células defeituosas, agentes externos como vírus e bactérias. Os principais "acessos" ao corpo são o tubo digestivo (por onde entra a comida) e os pulmões (por onde entra o ar).

Louis Pasteur, que descobriu no século XIX que os microrganismos eram responsáveis por infeções, compreendeu mais tarde que o FORTALECIMENTO DO CORPO poderia vir a revelar-se uma estratégia mais eficaz, do que, a vitória sobre o organismo invasor. Contudo, nos últimos cem anos, a medicina centrou-se em fármacos concebidos para destruir o invasor - antibióticos, agentes antivirais, quimioterapia. Porém, pela sua própria natureza, estes medicamentos são venenos para o organismo.

Quando compreendemos que o nosso organismo possui a capacidade de produzir um milhão de "coletes de força" específicos (chamados anticorpos) num espaço de um minuto e de reconhecer e desarmar biliões de invasores diferentes (chamados antigénios), a estratégia de incentivar a capacidade imunitária, faz todo o sentido. Esta capacidade de reagir tão rapidamente a um novo invasor, é que marca a diferença entre:

- Uma constipação sem importância ou uma semana de cama com gripe

- Um micróbio no estômago que dura 24h ou intoxicação alimentar

- Um nódulo não maligno ou  cancro de mama

- Uma infeção por HIV livre assintomática ou SIDA plenamente desenvolvida

 

Visto isto, o meu objetivo é ajudar-vos a perceber que é possível sermos saudáveis e criarmos filhotes saudáveis ... basta escolher os alimentos certos e retirar os que não nos fazem bem.  

 

ALIMENTOS QUE ESTIMULAM A IMUNIDADE:

- Legumes
- Fruta
- Cogumelos (shitaké,maitaké, portobello, brancos...)
- Algas (hiziki, arame, kombu, wakame, nori, clorela..).
- Soja não processada (tofu, tempeh, miso, grão soja, rebentos)
- Arroz e massas integrais
- Sementes (linhaça, girassol, Cânhamo, chia, papoila, sésamo...)
- Frutos Secos ( amêndoas, noz, noz-pecan ...)

- Leguminosas (grão, feijão-frade, feijão manteiga, feijão branco, feijão Azuki, lentilhas,ervilhas...)

- Especiarias (gengibre, funcho, ervas de Provese, Tomilho, Açafrão, Pimenta preta...)

- Água Mineral (pH>7)

 

ALIMENTOS A EVITAR (diminuem a imunidade):

- Doces,gelados, chocolates e Açucares;
- Gorduras e óleos;
- Sal refinado
- Alimentos oxidados;
- Refrigerantes e sumos não naturais;
- Água da torneira
- Trigo branco (pão, massas, …)
- Carnes e enchidos

- Leite de vaca e derivados (só são tolerados até aos 7 anos  , mas não é recomendado)
- Batatas fritas e fritos em geral

- Fast-food (pizzas, hambúrgueres ...)
- Refeições pré-cozinhadas (incluindo a comida em boiões)
- Torradas ou alimentos muito tostados
- Molhos (Ketchup, Maionese, etc.)

 

NOTAS:

- As frutas devem ser consumidas de preferência durante a sua época de colheita.
- As saladas de fruta são desaconselhadas, devido à mistura de frutas ácidas e doces.
- Todas as frutas e legumes devem ser preferencialmente de Agricultura Biológica, caso não sejam, retirar sempre a casca dos alimentos que a tenham.
- Sempre que possam, consumam alimentos biológicos

 

O sistema imunitário é como um anjo da guarda que vigia as nossas vidas e nos protege dos riscos que corremos - Dr. Joel Fuhrman

 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

PORQUE É URGENTE  a mudança alimentar logo em criança?

Durante os primeiros anos de vida de uma criança, é fundamental, ter muito cuidado com o que comem: não dar açúcares, não colocar sal na comida, atenção ao glúten antes dos 6 meses, evitar alimentos mais ácidos (tomate, laranja, abacaxi,etc).

 

A partir dos 12 meses ouvimos grande parte dos pediatras dizer:

 

- Agora já pode começar a comer da vossa comida.

O QUÊ? Da nossa comida? - Nós, em casa, até temos uma alimentação saudável, mas acho que esta frase é para todos os pais, - pensei eu, no dia em que fiz a consulta de 1 ano das minhas princesas.

 - Tudo? - perguntei eu completamente incrédula

 - Sim, em menos quantidade, mas pode começar a dar um pouquinho de tudo.

 Respondi muito rapidamente: - Em casa, não comemos fritos, carne de porco (na altura ainda comiamos carne), fast-food, nem qualquer tipo de sumos de compra!Acha que lhe faz falta? - fiquei gelada, porque não fazia ideia o que me ia responder

Riu-se e com uma voz doce, respondeu-me:

 -Acho que faz MUITO bem mãe, é uma ótima opção.

 

Não tive coragem para continuar, ri-me e abanei a cabeça, mostrando que tinha ficado feliz com a resposta. Saí dali e vim no carro, pelo caminho, a pensar: SE MUITOS DOS PEDIATRAS, ACHAM QUE NÃO SE DEVE DAR ALGUNS ALIMENTOS ÀS CRIANÇAS, PORQUE É QUE DIZEM AQUILO? Penso, que muitos pais, também não aceitariam, se lhes dissesse: "Olhe, não dê refrigerantes ao seu filho, se ele vir que você bebe, tente não beber, pelo menos na frente dele! Acho que muitos respondiam: "Só um bocadinho de vez em quando, também não lhe faz mal" E acabam por desistir de tentar explicar, dizendo, pode comer um bocadinho de tudo.

 

 
 
 

O GRANDE problema reside aqui: no provar! No conhecer o sabor, gostar e querer mais para a próxima que vir alguém comer ou beber aquele alimento, doce e/ou saboroso, mas que é péssimo para eles e para o seu organismo, tão frágil e AINDA SÃO!

É um crime crianças de 9 meses, agarrados a batatas fritas cheia de sal do Mac Donalds, VI EU, enquanto os pais saboriavam aquele hambúrguer cheio de molho, ketchup...É saboroso?É!!Também já comi, mas dar ás minhas filhas???São opções, OK! E querem saber o que isso acarreta??

 
 
O grupo a laranja (das doenças), querem saber quais são e o que PODIAMOS EVITAR??
 

- Patologias frequentes do dia-a-dia (gastroentrites, diarreia, obstipação, hiperatividade, anemia ferropénica, hemorróidas, apendicite, infeções diversas, otites, amigdalites, alergias, constipações)

- Doenças autoimunes: Psoríase, Dermatite, Esclerose Múltipla, Urticária Crónica, Diabetes tipo I, Artrite Reumatóide, entre outras, devido ao Leite Vaca e Glúten

- Futuros adultos com Diabetes, Colesterol elevado, Hipertensão, problemas Cardíacos, Infertilidade, Gota

- Cancro (futuro alarmante)

- Toma de medicação constante

- Oscilações de humor

 

Isto não são suposições, felizmente, existem muitos estudos, científicamente comprovados, que para além da obesidade, a má alimentação, enfraquece o sistema imunitário de tal forma, que fica suscetível ao aparecimento de diversos tipos de patologias.

 

Os bons hábitos que o salvam a si, também podem salvar a geração seguinte. – Dr. Hiromi Shinya   

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A família tem uma enorme responsabilidade não só na oferta do tipo de alimentos, mas igualmente na formação do comportamento alimentar da criança, detendo os pais o papel de primeiros educadores nutricionais. Nenhum pai/mãe deseja mal aos seus filhos, mas é necessário que tenham consciência que, a alimentação é um assunto tão sério quanto uma doença, pois, é ela uma das grandes responsáveis por diversos problemas de saúde que muitas vezes temos de enfrentar. Se ensinamos os nossos filhos a andar, a falar, a ser educados, porque é que não ensinamos o que realmente é importante: Comer BEM para ser SAUDÁVEL?

 

 

 

 

A maioria das doenças é causada por HÁBITOS e NÃO POR HERANÇA.

A preferência por certos alimentos, o estilos de vida e as formas de cozinhar, são alguns exemplos, de hábitos que se integram inconscientemente na mentalidade das crianças ao crescerem. Isto significa que, os filhos são mais propensos a ter a mesma doença dos pais, por erros causados pelos hábitos diários e não por herança genética. É importantíssimo, incutir hábitos saudáveis nas crianças o mais cedo possível.

 

 Papás …. Pensem…

- Quem oferece doces, refeições industrializadas, refrigerantes, batatas fritas, hambúrgueres, às crianças?

- Quem põe na mesa, um bife com batatas e não põe legumes e salada?

- Que credibilidade tem um pai que insiste para o filho comer sopa, se nunca come? 

- Quem vai ao supermercado e coloca no carrinho bolos, gomas, sumos, chocolates, salsichas, batatas fritas?

- Quem oferece comida constantemente às crianças, de forma, a nunca sentirem fome e necessidade de ingerir a refeição?

- Quem é que lamenta que o filho prefere comer “porcarias” em vez de sopa ou legumes?

As crianças só têm preferências daquilo que lhes damos a conhecer. Uma criança só pede batatas fritas porque conhece o seu paladar, porque, nós pais, lhe demos a conhecer. E se só dermos a conhecer ao nosso filho paladares saudáveis? 

 

 

A saúde está ao alcance de todos os que por ela optarem. - Dr. Hiromi Shinya  

Bem hajam ;)

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor